sexta-feira, 2 de março de 2012

A RECOMPENSA DE DORCAS


At 9. 36-43; I Tm 2.10
INTRODUÇÃO: Dorcas significa “gazela”, antílope pequeno, gracioso e rápido conhecido por seus olhos brilhantes. Dorcas (gr) ou Tabita (hb) recebeu o nome acertado. Ela morava entre os gregos e falava língua grega, tornou-se cristã, Lucas a chama de “discípula” cristã, essa é a primeira e única vez em que esse título é usado no N.T para descrever uma mulher.
Dorcas morava em Jope, cidade uma cidade costeira situada a cerca de, 56 km a noroeste de Jerusalém, e por esse motivo Jope via muitos maridos e pais partirem em direção as águas perigosas. Vários deles não voltavam mais, deixando para trás viúvas e órfãos enlutados e desamparados.
Neste contexto entrava em ação o ministério de Dorcas (Rm 12.6,8), ela tinha o dom da generosidade ou de repartir, e o usou para impactar sua comunidade através de suas boas obras, ela ajudava os pobres confeccionando casacos e outros artigos de vestuário. Quando ela morreu, o ambiente ficou cheio de pranteadores, pois todos a amava, Mt 5.16. Diante deste exemplo somos levados a refletir sobre nossas obras e imagem diante de Deus e do mundo.
ü  Como você é conhecido em sua rua, seu bairro sua cidade ou na igreja em que congrega?
ü  Se você morresse, faria falta para a igreja que você congrega? Ou para sua comunidade onde mora?
ü  Que obra tu tens feito para engrandecer o nome do teu Deus?
ü  Suas obras são boas ou más?
I – OS PROPOSITOS DE DEUS REVELADOS NA VIDA DE DORCAS
ü  A Bíblia diz que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus. Rm 8.28
ü  Talvez alguém questionasse por que Deus deixara acontecer aquilo com uma pessoa tão boa como Dorcas
ü  A priori não entendemos o porquê de certos acontecimentos súbitos e calamitosos que nos sobrevêm.
ü  Ficamos a questionar e até mesmo a murmurar contra Deus, e sem respostas imediatas de Deus, tendemos a pensar que Deus não se importa conosco ou que nos abandonou.
ü  Não é que Deus não fale, é nós que não ouvimos, pois as circunstancias tem o potencial de nos segar e de ensurdecer-nos, mais isso não significa que Deus não esteja trabalhando, pois tudo tem um propósito.
ü  A morte de Dorcas deixou todos tristes e cabisbaixos, mais quando Deus a ressuscitou veio um grande crescimento em seu reino em Jope, e assim se estabeleceu o seu propósito.
ü  Dorcas impactou sua comunidade com suas boas obras mais sua morte e ressurreição trouxeram salvação eterna a muitos.
ü  A tragédia segundo Deus, gera experiência e crescimento.
II – A BÍBLIA FALA SOBRE DUAS CATEGORIAS DE OBRAS.
1.      Obras más. Gl 5.10; 2 Jo 1.11; Zc 1.4
2.      Boas obras. 1 Tm 6.18; 2 Tm 2.17; 2 Co 9.8
ü  As boas obras leva os homens a glorificar  a Deus. Mt. 5.16; 1 Pd 2.12
a)      As más obras.
ü  Atraem maldições. Dt 28.20; Jr 48.10
ü  Trazem tribulação e angustia. Rm 2.9
ü  Será condenada na vinda do Senhor Jd 14,15
ü  São como teias, e não prestam pra vestir.  Is 59.6
ü  Impedem nossas orações de serem ouvidas. Mq 3.4
ü  É motivo para a disciplina. 1 Co 5.1-5
b)     Exemplos
ü  As obras do mundo. Jo 7.7
ü  As obras da carne. Gl 5.19-21
ü  Inveja e facção. Tg 3.16
ü  Imagens de esculturas. Is 41.29
III – ENTENDENDO A NATUREZA DAS OBRAS
ü  As Boas obras são frutos. Mt 7.16
ü  Os verdadeiros servos de Deus são identificados por elas. Lc 6.43
ü  Bem como os falsos irmãos. Jo 3.20
a)      O que as obras não fazem
ü  Elas não salvam, Ef  2.8,9; Tt 3.4,5; Mt 7.22,23; Rm 11.6; 2 Tm 1.9
ü  Não justificam. Gl 2.16; Rm 3.20; 9.31,32
b)     O beneficio das boas obras
ü  Elas servem para testemunho de que somos o povo de Deus. 1 Pd. 2.12
ü  Glorificam a Deus, Mt 5.16; Cl 1.10
ü  Enriquece a vida, 1 Tm 6.18
ü  Proporciona exemplo para ser imitado. Tt 2.7,14; 3.8
ü  Estimula os outros a praticarem também. Hb 10.24
ü  Demostra a realidade da fé que temos. Tg 2.17,18; 1 Pd 2.12
ü  Atraem as benções de Deus em todos os aspectos. Pv 22.9; Sl 41
IV -  A IGREJA PRIMITIVA E AS BOAS OBRAS
a)      As boas obras na igreja primitiva era o caro chefe da evangelização.
b)      Os diáconos surgiu na igreja, pela necessidade de cuidar da assistência social. At 6
c)      As viúvas que eram inscritas no sistema de ação social da igreja, eram avaliadas pelas boas obras. 1 Tm 5.10
·         Quem não tem boas obras não é digno das provisões de Deus. Pv. 21.13
V – O POVO DE DEUS E AS BOAS OBRAS
1.      Há obras preparadas para andarmos nelas. Ef 2.10
·         Essas obras são a pratica do evangelho no aspecto social. Tt 3.8
·         As boas obras se relacionam diretamente com a assistência social comunitária. Pv. 19.17; 1 Tm 5.25; Tt 3.14
·         Elas também se referem ao que ouvimos, vemos e falamos.
a)      O povo de Deus foi chamado para ser um povo zeloso e de Boas obras. Tt 2.14; 1 Pr 2.12
b)      Devemos nos aplicar as boas obras. Tt 3.8
c)      Crente sem obras é infrutífero. Tt 3.14
d)      Em Mt 25. 34-40 deixa claro que categoria de crentes entrará no seu Reino
2.      Exemplos de Boas obras
ü  Dar comida e água, vestimenta, cuidado e visitas,  Mt 25.35,36; Mt 10.42
ü  A mulher do vaso de alabastro. Mt 26. 7-10
ü  A igreja de Tessalonica, 1 Tss. 1.3
ü  A igreja de Éfeso. Ap. 2.2
VI – DEUS E AS NOSSAS OBRAS.
ü  Ele as ver. Ap. 3.10; Jo 34.25
ü  Nos Jugará por elas. Ap 20.12; 1 Co 3.13; Ez 7.3
ü  Nos Recompensará por elas. 1 Co 3.14
CONCLUSÃO: Sejamos frutíferos e fecundos na pratica das boas obras, pois não só ganharemos alma para Jesus como também alcançaremos o favor do Senhor em tempos de angustias. Vamos impactar nosso povoado, nossa cidade, nosso bairo, nossa rua e nosso lar, com as boas obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário